O novo podcast da Casa Comum – Sons Pe(R)didos e Achados – traz Paula Guerra à conversa com músicos portugueses sobre o seu percurso até ao frágil equilíbrio no trabalho cultural e criativo destes tempos de incerteza e reinvenção do pop-rock português. O ponto de partida foi a experiência generalizada de alienação, ausência de expectativas, grande incerteza e permeabilidade aos riscos, nomeadamente para quem faz, ou fazia, da música uma experiência em carne viva. Sons Pe(R)didos e Achados pretende ir mais além do que divulgar o trabalho criativo dos músicos. Vai trazer-nos, na primeira pessoa, histórias de como este contexto pandémico tem vindo a influenciar o pop-rock em Portugal.

O Sons Pe(R)didos e Achados terá uma periodicidade mensal e inaugura-se com Legendary Tigermam. Mas tem já na calha nomes como Victor Torpedo (ex Tédio Boys e atual The Parkinsons), Tó Trips (Dead Combo), Vítor Rua (ex GNR e Telectu) e Fado Bicha. Resulta de uma parceria entre a Casa Comum, o Instituto de Sociologia da Universidade do Porto (IS-UP) e o Centro de Investigação Transdisciplinar «Cultura, Espaço e Memória» (CITCEM). O podcast conta com a colaboração de Ana Oliveira, António Carvalho e Susana Serro. A sonoplastia é de Paulo Gusmão.

Podcast para escuta, aqui: https://www.up.pt/casacomum/sons-perdidos-e-achados/1-paulo-furtado-the-legendary-tigerman/

 

Mais informações: https://noticias.up.pt/musicos-portugueses-partilham-historias-da-pandemia-em-novo-podcast-da-u-porto/